terça-feira, 15 de outubro de 2013

Ainda resta a certeza da justiça divina



Os dias passam completar o mês, o ano faz 12 meses, passam ano e mais ano, o que poderia definitivamente se apagado da memoria em clarão surgi em minuto e minuto.

 Não é o fim mesmo que tudo um dia esteve no impacto da dor, nos arredores passeando inconsolavelmente, procurando razoes para suprir um vazio que doía toda vez que era lembrado à dor da perda. 

Ainda resta a certeza da justiça divina , mesmo que não surgisse uma novidade positiva.
O mais importante não era esquecer o que perdeu e sim pode acreditar no homem imperfeito, pois são assim que somos imperfeitos! Não adiantava desejar o mal a quem fizeste mal, embora se passasse esses pensamentos, porem precisava decidir o que guardar dentro de mim.

  A maior vitória ganhada para minha alegria foi encaminhar minha vida a Cristo, não podia ser mais dono dela, já que estaria desfazendo dos sentimentos ruins que não me acrescentavam em nada.

 Por mais que o tempo seja meu aliado terei que acostumar com as lembranças tristes,

calar-me diante  ao homem imperfeito, mais nunca deixarei de contemplar e suprir toda necessidade ao único homem justo e perfeito meu SENHOR DEUS!